segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Quando me tornei uma mulher de fato, a primeira transa.

Por: Denise.

A adolescência é uma das fases mais complicadas da vida para uma garota. Porque lemos e se aprendemos sobre essa fase, mas o fato de não sermos mais crianças e ao mesmo tempo não podermos assumir o papel de adultos incomoda.
Pela minha família tive que me tornar uma adulta precoce quanto às obrigações do trabalho. Desde cede ajudava a cuidar da casa e aos 13 anos já trabalhava para produzir meu próprio dinheiro. Por outro lado, minha vida sexual, amorosa e afetiva com os demais jovens era tolhida. Ou seja, eu só era considerada adulta só para trabalhar.
Porém não era isso que o mundo me mostrava. Depois dos 13 anos já não tinha mais corpo de menina. Era constantemente notada. Às vezes por homens mais velhos... 18, 20 anos e isso até me excitava muito. Na minha cabeça de adolescente pensava ser uma verdadeira mulher.
Foi a primeira transa que me deu as credenciais de mulher. Foi preciso o sexo para me tornar adulta em todos os sentidos. O medo da penetração. A ansiedade. A dúvida quando a permissão. Tudo isso foi agindo em minha mente numa verdadeira confusão.
Meu corpo já estava bem preparado para o ato. Hormônios à flor da pele, mas a mente ainda pairava uma dúvida. A qual só foi resolvido na hora "h". Bom, se eu sou adulta para tudo só me falta mesmo o sexo.
Foi assim que me entreguei.  O primeiro sexo oral que praticaram em mim não é descritível em palavras, foi a sensação mais erótica e prazerosa até então. Tive sorte do meu primeiro parceiro ser mais experiente. A penetração aconteceu com cautela... pouquinho por pouquinho até o encaixe perfeito. 
No espelho do motel eu mesma me olhava com aquela cara de assustada e pensava: meus Deus... o que está acontecendo. Depois parece que toda preocupação cessou. Ficou apenas o prazer de sentir os movimentos de penetração, o cheiro de sexo no ar, as respirações ofegantes e, finalmente, o gozo no  meu umbigo. Esperma quente. Tesão de vê-lo gozar. 
Apesar de não ter chegado ao orgasmo como hoje eu o concebo, foi a primeira transa que serviu de rito de passagem para minha vida adulta. Foi quando eu me tornei mulher de fato. Só deixo uma informação importante, em especial para as adolescentes, fiz isso na idade física e mental certa. Não me arrependo. E a pessoa que me inaugurou tinha muita intimidade comigo. Na ânsia de viver momentos bons podemos nos machucar em especial psicologicamente.
Beijos.

Denise se diz leitora do Sensualité. Hoje tem 30 anos e é casada, sua primeira transa ocorreu com 17 anos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...