sábado, 8 de maio de 2010

Como emagrecer? A psicologia de um regime.


Emagrecer se tornou prioridade na vida de boa parte das mulheres. A obsessão pelo corpo que se considera perfeito começa na adolescência e acompanha as mulheres por um longo tempo.
Algumas questões devem ser abordadas, não são concepções novas e algumas delas já foram discutidas aqui.
Quanto a questão biológica devemos analisar em primeiro lugar os biótipos, que são três. Endomorfo, tem facilidade de ganhar peso e reter gorduras. Mesomorfo, de estatura média apresenta problemas para aumentar a massa magra e eleminar excessos localizados de gorduras, em especial nos quadris, coxas e bumbum. E o ectomorfo, baixo índice de massa gorda porém com dificuldade de conquistar músculo e perder barriga. Essas observações são do endocrinologista Felippo Pedrinola, que além dessas, ressalta outras características genéticas que implicam num determinado tipo físico que pode dar uma silhueta própria a cada um.
Depois temos que considerar nosso funcionamento biológico, descartando problemas hormonais e outras implicâncias, às vezes de ordem patológica, somos uma máquina que consumimos e gastamos energia. Então se absorvemos mais que gastamos haverá um acúmulo de gordura.
O que está escrito acima não é novidade, muito menos as fórmulas para emagrecer, tais e quais divulgadas em sites e livros numerosos que citá-los não seria contribuição essencial.
Os procedimentos devem ser coerentes com nossos verdadeiros propósitos. A questão psicológica em um regime é essencial. Entender que os padrões de beleza se alteram no tempo e no espaço, entender que a mulher pode ser atraente mesmo sendo gordinha ou não estando no padrão de beleza vigente, estar bem consigo mesma são procedimentos importantíssimos.
Em muitas ocasiões sites e livros trazem apenas as fórmulas do emagrecimento e esquecem de tratar o contexto social e psicológico no qual as pessoas se inserem. O porquê que uma pessoa passa a comer alimentos ricos em gorduras e açúcar, sabe-se que eles dão uma satisfação praticamente imediata. Mas a questão se fundamenta nos motivos que a levam a buscar tal satisfação. Seria, talvez, a falta de um namorado? Um emprego que está incomodando? Um problema familiar? O parceiro que vem se mostrando desinteressado?
Essas questões devem ser analisadas com prioridade antes de se iniciar um regime. Pode existir mulheres que se enquadram totalmente nos padrões de beleza atuais, belíssimas, que não estão bem consigo mesmas e vivem procurando emagrecer através de regimes e até cirurgias. Enquanto outras, muitas vezes com uma barriguinha ou outras gordurinhas espalhadas podem se sentir bem. A questão, analisando assim, tem um certo fundamento psicológico. Primeiramente a mulher tem que se gostar. Observando e considerando as propostas de Christine Yufon, a auto-aceitação e a serenidade de uma pessoa dão resultados harmoniosos. Nos traços particulares de cada mulher pode estar contida muita beleza em estado de latência.

Referências:
Guerra e Paz. Revista Cláudia. Ed. Abril, maio 2010. pp. 1742-189 (inclusive imagem).
YUFON, Christine. Toda mulher pode ser bonita: guia de valorização pessoal. São Paulo: Gente, 1998.
Sugestões de leituras:

Um comentário:

  1. Olá, sou a Maíra do Grupo Ec,

    Temos uma proposta de parceria para rentabilizar seu site através de plataforma de e-mail marketing.

    Por favor entre em contato das 9 as 17:30 por telefone ou e-mail em:

    Tel: (11) 3207-6000 ramal 24
    E-mail: maira.reis@grupoec.com.br

    Aproveite e acesse nosso site www.grupoec.com.br para ver nossos anunciantes.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...